Osteopatia lisboa
PortugalEnglish (United Kingdom)
marcacoes_online
promocoes
Osteopatia e Massagem
Rua Gonçalves Zarco, 21B
1400-192 Lisboa
Telm. 91 151 64 79 Siga-nos no Facebook
Peeling quimico
O peeling químico é um tipo de tratamento estético que é feito com a aplicação de ácidos sobre a pele para retirar as camadas danificadas e promover o crescimento de uma camada nova sem discromias (lisa).
Geralmente, dependendo do tipo de peeling químico, a técnica pode ser utilizada na pele do rosto, mãos, pescoço e corpo, para remover manchas, marcas de acne, estrias e cicatrizes.
Assim, os principais tipo de peeling químico incluem:
• Peeling químico superficial: remove a camada mais externa da pele, sendo ótimo para clarear manchas e retirar marcas de acne ou rugas superficiais O peeling superficial atua na camada mais superior da pele, a epiderme, e é indicado para casos de acne leve, pele envelhecida/desidratada pelo sol, manchas ligeiras, rugas finas, poros dilatados e sardas, além de pele sem brilho.
• Peeling químico médio: são utilizados ácidos que removem a camada externa e média da pele, sendo utilizado para tratar manchas, acne e rugas e cicatrizes mais profundas;
• Peeling químico profundo: remove as camadas de pele até ao nível interno, sendo recomendado para casos de pele altamente danificada pelo sol e pela idade e outras cicatrizes, como as de acne ou acidentes e rugas profundas. Apenas aplicado por médicos.
Os principais benefícios do peeling químico incluem:
•Redução das cicatrizes de acne e de acidentes;
•Redução das manchas de idade ou sol;
•Redução ou eliminação de rugas e linhas de expressão;
•Revitalização da pele;
•Redução de estrias;
•Hiperqueratose;
•Pele desidratada.
Os resultados do peeling químico dependem do tipo de peeling e das características da pele, sendo que peles claras apresentam efeitos mais satisfatórios.
Antes de realizar o procedimento é necessário fazer um preparo cerca de 15 a 30 dias antes através do uso de um creme indicado pela técnica de saúde, após realizada uma avaliação profunda e pormenorizada, para chegar a um diagnóstico diferencial, correcto e preciso.
O peeling químico pode ser realizado com produtos como ácido láctico, ácido retinóico, ácido glicólico, ácido mandélico, ácido pirúvico, ácido salicílico, ácido tricloroacético (TCA), por exemplos, e o produto deve ser mantido na pele com o tempo de acordo com o tipo do ácido e a percentagem de concentração deste, e de acordo com o tipo de pele da pessoa. Nos peelings superficiais-médios ou médios  começa a aparecer passado 1 a 2 dias a pele a descamar, permitindo a sua queda e o surgimento de uma nova mais macia, lisa e uniforme.
Recomendações: Antes de se iniciar o tratamento a pele deve estar limpa, sem cremes, maquilhagem nem qualquer outro produto que interfira na aplicação do tratamento. Antes do tratamento, o paciente não se deve expor ao sol nem a qualquer tratamento com raios UVA pelo menos nos 15 antecedentes.
Durante os primeiros dias, a pele poderá ficar avermelhada consoante o tipo de peeling.  À medida que os dias forem passando, a pele irá escamando (por vezes de forma impercetível), dando lugar a uma pele nova, ainda com vermelhidões que irão desaparecendo, mas mais suave e hidratada e sem as marcas dos danos previamente causados por outros fatores. A pele passará a estar livre de manchas e marcas, mais hidratada e com muito mais luminosidade.
Após o tratamento, é muito importante seguir as recomendações da técnica de saúde, assim como aplicar proteção solar para evitar hiperpigmentações e para manter a pele hidratada. É necessário aplicar protector solar no mínimo de 30 FTP, de 2 em 2 horas, para que proteja contra radiação UVA e UVB. Evitar a exposição ao sol durante pelo menos 15 dias, e evitar usar maquiagem durante a primeira semana porque a pele está sensível. O uso de ácidos só deve ser retomado após 10 a 15 dias, pois a pele estará sensibilizada.
Cuidados para aumentar o sucesso do tratamento de anti-manchas:
Os 4 cuidados essenciais para prevenir o surgimento de novas manchas na pele, e para evitar que aquelas que já existem fiquem ainda mais escuras, são:
1.Passar sempre um protetor solar com fator de proteção alto antes de sair de casa;
2.Hidratar diariamente a pele de todo corpo e rosto, com cremes próprios para cada tipo de pele;
3.Evitar a exposição solar excessiva;
4.Não espremer espinhas ou cravos, que podem deixar marcas escuras na pele.
Esses cuidados devem ser tomados durante o tratamento de qualquer tipo de mancha na pele.
É impossível  remover estas manchas completamente. Nenhum dos tratamentos que surgem como novidade é eficaz. Claro que podem ser atenuadas com Peelings, Laser IPL, uso de cremes despigmentantes, mas ao primeiro contacto com sol intenso, mesmo com protetor solar, elas reaparecem ou intensificam. Tem a ver com um registo e uma sensibilização das células produtoras de melanina da pele e só uma destruição destas células seria eficaz. Claro que esta destruição implicaria também destruição de outras células presentes ao mesmo nível, sendo essas importantes elementos protetores da cútis no combate ao cancro da pele.
“Se adora estar ao sol e «não tem paciência» para proteger a pele, então não faça Peelings!”
Contraindicações: O peeling químico não é indicado para pessoas com doenças graves, problemas cardíacos, renais ou hepáticos. Também não é efetuado em mulheres grávidas ou em período de lactação. Não é recomendável efetuar um peeling químico em pessoas que estejam sob tratamento hormonal com estrogénios e/ou progesterona, ou toma de medicações como cortizona, corticóides e isotretinoina. Este tratamento não é aconselhado para pessoas que se tenham submetido recentemente a algum tipo de cirurgia facial ou que apresentem reações alérgicas a algum dos componentes utilizados.

O peeling químico é um tipo de tratamento estético que é feito com a aplicação de ácidos sobre a pele para retirar as camadas danificadas e promover o crescimento de uma camada nova sem discromias (lisa).Geralmente, dependendo do tipo de peeling químico, a técnica pode ser utilizada na pele do rosto, mãos, pescoço e corpo, para remover manchas, marcas de acne, estrias e cicatrizes. 

Assim, os principais tipo de peeling químico incluem:

• Peeling químico superficial: remove a camada mais externa da pele, sendo ótimo para clarear manchas e retirar marcas de acne ou rugas superficiais O peeling superficial atua na camada mais superior da pele, a epiderme, e é indicado para casos de acne leve, pele envelhecida/desidratada pelo sol, manchas ligeiras, rugas finas, poros dilatados e sardas, além de pele sem brilho.

• Peeling químico médio: são utilizados ácidos que removem a camada externa e média da pele, sendo utilizado para tratar manchas, acne e rugas e cicatrizes mais profundas;

• Peeling químico profundo: remove as camadas de pele até ao nível interno, sendo recomendado para casos de pele altamente danificada pelo sol e pela idade e outras cicatrizes, como as de acne ou acidentes e rugas profundas. Apenas aplicado por médicos.

 

Os principais benefícios do peeling químico incluem:

 

•Redução das cicatrizes de acne e de acidentes;

•Redução das manchas de idade ou sol;

•Redução ou eliminação de rugas e linhas de expressão;

•Revitalização da pele;

•Redução de estrias;

•Hiperqueratose;

•Pele desidratada.

Os resultados do peeling químico dependem do tipo de peeling e das características da pele, sendo que peles claras apresentam efeitos mais satisfatórios.

Antes de realizar o procedimento é necessário fazer um preparo cerca de 15 a 30 dias antes através do uso de um creme indicado pela técnica de saúde, após realizada uma avaliação profunda e pormenorizada, para chegar a um diagnóstico diferencial, correcto e preciso.  O peeling químico pode ser realizado com produtos como ácido láctico, ácido retinóico, ácido glicólico, ácido mandélico, ácido pirúvico, ácido salicílico, ácido tricloroacético (TCA), por exemplos, e o produto deve ser mantido na pele com o tempo de acordo com o tipo do ácido e a percentagem de concentração deste, e de acordo com o tipo de pele da pessoa. Nos peelings superficiais-médios ou médios  começa a aparecer passado 1 a 2 dias a pele a descamar, permitindo a sua queda e o surgimento de uma nova mais macia, lisa e uniforme.

 

Recomendações: Antes de se iniciar o tratamento a pele deve estar limpa, sem cremes, maquilhagem nem qualquer outro produto que interfira na aplicação do tratamento. Antes do tratamento, o paciente não se deve expor ao sol nem a qualquer tratamento com raios UVA pelo menos nos 15 antecedentes.Durante os primeiros dias, a pele poderá ficar avermelhada consoante o tipo de peeling.  À medida que os dias forem passando, a pele irá escamando (por vezes de forma impercetível), dando lugar a uma pele nova, ainda com vermelhidões que irão desaparecendo, mas mais suave e hidratada e sem as marcas dos danos previamente causados por outros fatores. A pele passará a estar livre de manchas e marcas, mais hidratada e com muito mais luminosidade.

 

Após o tratamento, é muito importante seguir as recomendações da técnica de saúde, assim como aplicar proteção solar para evitar hiperpigmentações e para manter a pele hidratada. É necessário aplicar protector solar no mínimo de 30 FTP, de 2 em 2 horas, para que proteja contra radiação UVA e UVB. Evitar a exposição ao sol durante pelo menos 15 dias, e evitar usar maquiagem durante a primeira semana porque a pele está sensível. O uso de ácidos só deve ser retomado após 10 a 15 dias, pois a pele estará sensibilizada.

 

Cuidados para aumentar o sucesso do tratamento de anti-manchas:

 

Os 4 cuidados essenciais para prevenir o surgimento de novas manchas na pele, e para evitar que aquelas que já existem fiquem ainda mais escuras, são:

1.Passar sempre um protetor solar com fator de proteção alto antes de sair de casa;

2.Hidratar diariamente a pele de todo corpo e rosto, com cremes próprios para cada tipo de pele;

3.Evitar a exposição solar excessiva;4.Não espremer espinhas ou cravos, que podem deixar marcas escuras na pele.Esses cuidados devem ser tomados durante o tratamento de qualquer tipo de mancha na pele.

É impossível  remover estas manchas completamente. Nenhum dos tratamentos que surgem como novidade é eficaz. Claro que podem ser atenuadas com Peelings, Laser IPL, uso de cremes despigmentantes, mas ao primeiro contacto com sol intenso, mesmo com protetor solar, elas reaparecem ou intensificam. Tem a ver com um registo e uma sensibilização das células produtoras de melanina da pele e só uma destruição destas células seria eficaz. Claro que esta destruição implicaria também destruição de outras células presentes ao mesmo nível, sendo essas importantes elementos protetores da cútis no combate ao cancro da pele.“Se adora estar ao sol e «não tem paciência» para proteger a pele, então não faça Peelings!”

Contraindicações: O peeling químico não é indicado para pessoas com doenças graves, problemas cardíacos, renais ou hepáticos. Também não é efetuado em mulheres grávidas ou em período de lactação. Não é recomendável efetuar um peeling químico em pessoas que estejam sob tratamento hormonal com estrogénios e/ou progesterona, ou toma de medicações como cortizona, corticóides e isotretinoina. Este tratamento não é aconselhado para pessoas que se tenham submetido recentemente a algum tipo de cirurgia facial ou que apresentem reações alérgicas a algum dos componentes utilizados.